quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

self image 2016

[self image: one’s concept of oneself]¹

a chave das coisas, ou ao menos a minha chave das coisas, é o deslocamento. 

aprendi isso quando saí de um colégio particular pequeno e entrei num colégio público ~de qualidade~ gigante, cinco anos atrás, e tive a certeza quando mudar de estado para fazer faculdade me pareceu a única opção correta.

***

o ano em que eu cheguei aos dezoito foi o ano mais difícil e maravilhoso para mim. eu passei por várias reedições e reimpressões para chegar até aqui, ao paulo que escreve esse texto. eu não sou a edição definitiva de mim mesmo - alguém é? -, mas eu sei que sou uma edição que existe. 

a cada dia que passa, eu sinto que eu existo mais e o mundo parece menos plástico. a realidade tem se tornado real.


***

esse texto tem a mesma origem desse blog: a minha vontade de ser uma pessoa que escreve. é difícil falar de ser escritor, alguém que escreve sempre soou menos áspero. seja como for, é o único desejo que não morre. geógrafo, editor, produtor, tradutor, professor, pesquisador - essas são as faces do dado. a escrita é a espinha dorsal. 

***

meu nome é paulo, eu tenho dezoito anos e um coração que não consegue superar a dor. meu nome é paulo, eu estou trocando a casa onde sempre vivi por uma suíte de não muitos metros quadrados numa cidade feita de concreto. meu nome é paulo, e eu sou real.


¹ eu conheci o self image pela Milena, no Agora moro na Lua, que adaptou a ideia do Eric, no YouTube.

Nenhum comentário:

Postar um comentário